© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

ODEBRECHT, há mais de 50 anos prejudicando os BRASILEIROS!

May 14, 2017

As maiores fontes de receita da Odebrecht são obras públicas, exploração de concessões e fornecimento de material de defesa para as Forças Armadas.

 

 

Obras públicas que a Lava Jato e centenas de outras operações da PF investigam invariavelmente se mostram superfaturadas para pagar pixulecos. O fato é antigo e remonta a JK.

Há estudos e mais estudos demonstrando que a proibição de empreiteiras estrangeiras nas licitações e a manutenção do atual Cartel encarece o preço as obras públicas por elas executadas em até 50%, sem incluir na conta os abjetos aditivos contratuais.

Além disso, a maioria dos consórcios de obras públicas (formado por integrantes do Clube das Empreiteiras) atua sob regime especial de tributação, principalmente quando em PPP, motivo pelo qual pagam menos tributos que uma empresa comum (ficando o ônus social disto com o restante dos pagadores de impostos, eu, você e demais idiotas bananenses que ainda não migraram desta terra amaldiçoada).

O fim de uma empresa via liquidação, ou falência, não elimina seus ativos, nem os empregos, ao contrário do que a maioria das pessoas comuns poderia acreditar.

Os ativos (maquinários, estoques, unidades isoladas de produção/UPIs, knowhow, patentes etc) serão adquiridos por terceiros que manterão (caso de venda de UPIs, melhor método para o caso) e/ou contratarão os empregados para continuarem a exercer suas atividades.

Na legislação criminal há um preceito claro e cogente (leia-se de ordem pública e aplicação obrigatória), segundo o qual os instrumentos e produtos do crime devem ser confiscados e, salvo hipóteses de destruição (como entorpecentes), levados a leilão para indenizar a vítima ou repor o prejuízo causado ao Erário.

A Odebrecht, nem nenhuma empresa, é imprescindível, tampouco "grande demais para falir".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Um táxi chamado Brasil

February 25, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square