© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Entre a cruz e a caldeirinha.

June 26, 2017

 

 

Pergunte se gosto do Temer... e eu ponho um dedo na garganta: arghhhh. Meu desamor vem de quando ele ainda era o Capitão Gancho do navio-pirata pmdb. Quando o Temer surgiu como o candidato da Dilma, pensei : aafe!! eles se merecem. Mas não quero aqui, agora, ficar acusando nosso precário presidente. Deixo isso por conta da Folha, Época, Veja, Globo,etc. Nem me interessa saber o que estão atirando contra o Temer, buscando na marra sentar em seu trono presidencial. 

 

Neste momento me sinto como jurado num tribunal,  pronto para julgar o Temer como réu. Já ouvi as alegações finais da promotoria e da defesa . Agora só me cabe escrever num papelzinho: culpado - ou inocente. 

Ponho então “culpado”. Depois penso de novo, jogo fora o que escrevi e tento outra vez: “inocente”. Me sinto contraditório, paradoxal: como posso achar alguém culpado  e declará-lo inocente?  Acho que muitos brasileiros estão nessa mesma encruzilhada moral. 

 

Me justifico: ruim com ele, pior sem ele. Ou melhor, ruim com ele, mas pior ainda com o pt. Pois sabemos que juntos, nesse pacote de desgraças do lula vem toda sua curriola de bandidos, que aprendemos odiar e desprezar. Tem momentos, numa batalha, em que os exércitos avançam, recuam e alguns soldados ficam no meio do fogo cruzado, perdidos, sem saber o que fazer. Não quero isso. Nós merecemos pelo menos um ano de respiro, de alívio, para crescer sem muitas incertezas, sacolejos, ameaças de impeachment etc. Então confirmo, seguro : é inocente. 

 

Tenho que engolir, contrafeito, os seus ministros e suas lamentáveis manobras mercenárias. Finjo desconhecer a capivara do Temer, como os policiais chamam a folha corrida de um indivíduo. Minha atitude contraditória tem um nome: Síndrome de Estocolmo. É quando alguém sequestrado, para se salvar, começa a gostar - e até justificar - quem o sequestrou. Explica-se: a vítima  precisa encontrar razões para ter algum tipo de empatia com o sequestrador. E quem sabe, assim, ele se salve de ser executado.  Esse encurralamento psicológico chega ao cúmulo da vítima ir contra a própria polícia que quer agir para libertá-lo. Vai ver que é o meu caso.

 

Em compensação, a LavaJato, o Ministério Público e tantos outros juizes íntegros, se contrapõe criticamente ao Partido STF, aquele que nos traz tanto desgosto. A condenação do Palocci é uma prova disso. Eu apoio 100% a LavaJato e vou lutar por ela. Não quero continuar escravo do status quo. O Temer talvez ajude nisso, se conseguir sair das frias em que se meteu. 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Um táxi chamado Brasil

February 25, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square