© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Quem quer vai,quem não quer...

August 10, 2017

Temer tornou-se um pedaço de carne podre e estragada que o Congresso teve que engolir com o seu apetite insaciável por emendas, auto-proteção e para não sofrer o peso da Justiça.

 

Nem mesmo o estômago pantagruélico dos congressistas conseguiu digeri-lo.

 

Nós estamos também assim: em vésperas de uma indigestão, mas sem poder vomitar, pelo medo de receber um vômito pior de volta na cara: Lula, que é feito de um resíduo inumano e mais fétido ainda!


Quanto mais tudo desaba à nossa volta, mais surgem os que prenunciam piores catástrofes, os que falam em nome da economia, do ajuste fiscal, ou a turma do "eu avisei!", ou mesmo a do "tanto pior melhor, que tudo exploda!".

 

Sem falar nos que almejam que a Corrupção continue impune- quase todos os congressistas,especialistas em conceder favores a empresários e banqueiros querendo sempre mais e mais.


Com argumentos contundentes, ensaiada frieza, muitas canetadas para liberação de verba aos deputados, cargos e ministérios cedidos, aceite de  lobbies de bancadas poderosas, Temer escapou de um processo de Corrupção passiva. Isso é, depois de viver um funesto período de karma, de ser enterrado vivo.

 

Mas e a governabilidade deste país, como fica?


Sua vitória representou a consagração de um governo transformado em balcão de negócios, um cativeiro político no qual o presidente é refém dos próprios congressistas, em especial da banda podre do chamado Centrão.


Durante a "negociação" para a sua absolvição, por exemplo, o ministro da articulação Antonio Imbassahy circulava pelo plenário da Câmara com a lista das emendas empenhadas e concedidas cobrando apoio a Temer.


Depois da delação da JBS, segundo a sua agenda, o presidente recebeu (e "negociou") com mais de cem deputados. Parcelou com benefícios 10 BI  de reais dos produtores rurais com o Funrural. Seu empenho rendeu frutos, a absolvição, mas não apoio irrestrito. Rendeu também que a "conta" fosse repassada ao povo.


Novas acusações irão acontecer: o seu incansável perseguidor, Rodrigo Janot, incluiu Temer no inquérito que apura proprinas aos caciques do PMDB por contratos firmados com a Petrobras e a CEF.

Será acusado de chefiar a organização criminosa do PMDB na Câmara.

Se somarmos às novas denúncias que estão por acontecer, a do deputado Cunha e a do doleiro Funaro, veremos que os deputados estarão muito satisfeitos neste novo período de delações a se iniciar.

Quanto mais graves as acusações, mais alto será o suborno cobrado, sempre  favorável ao seu ignóbil enriquecimento.


Nada podemos esperar desta presidência e congressistas, muito menos de seu coadjuvante o STF, posto que só demonstram interesse em explorar ao povo e não se interessam pelas suas reivindicações.

 

Um exemplo maior é o caso das Dez Medidas Contra a Corrupção assinadas por milhões e desprezadas.


Precisamos mostrar nossa força para nos impormos. Tanto nas Ruas, como em Greve Geral e Exigências tais como  o fim das urnas eletrônicas, não ao voto do chamado Distritão que eternizará este congresso corrupto e jamais ao parlamentarismo sem uma verdadeira reforma política.

 

Para mudar teremos que tornar inviável os corruptos frequentarem lugares públicos, esclarecermos ingênuos e mal informados pela internet. Reforçarmos a liderança de pessoas honestais e justas como Moro, Janaína, Reale, etc.

Isso se não desejarmos ser uma nova Venezuela.


Teremos de nos unir e agir, sair de nossos sofás e tomar posse de fato de nossa cidadania. Antes que destruam de vez a nossa governabilidade e liberdade, afundando, degradando e falindo o Brasil.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O bezerro de ouro e a liderança política

November 12, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square