© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Lênin contra Churchill em Charlottesville

August 16, 2017

Primeiramente, bem vindos a 2017!

Sim, bem vindos a 2017 em Agosto! Estamos no século XXI, embora a maioria ainda teime em não perceber esse retrocesso. Opa! Não enlouqueci ainda.

 

Tivemos um século XX marcado por movimentos artísticos, culturais, pessoas boazinhas lutando por direitos iguais, justiça, liberdade, blá-blá-blá, aborto, drogas, genocídio…

 

Supondo que você não faça parte da maioria politicamente correta lobotomizada, o protesto de Charlottesville, no estado americano da Virgínia foi emblemático como indicador da atual política mundial. Com os meios de comunicação, os ambientes acadêmicos, e as produções culturais cooptadas desde o século passado, não há o que se discutir: a esquerda está no poder!

 

Nos Estados Unidos o presidente é conservador, a maioria do congresso é de direita, mas misteriosamente, as pautas mais importantes não são aprovadas, como eu disse, não há o que se discutir, a esquerda está no poder.

 

A esquerda, é comunista, é globalista e está no controle das políticas mundiais.

 

Essa mesma esquerda-paz-e-amor é nazista, é fascista, e pasmem!, são ao mesmo tempo os ativistas LGBT-feministas e islamistas (que trucidam gays e mulheres apenas por serem quem são). Essa cama de gato foi armada no século passado enquanto a humanidade estava muito preocupada em ser progressista, em progredir em sua caminhada rumo a um estado único e absolutista.

 

Alguém falou Leviatã?! Aliás, falando em Leviatã, quem duvidar de minhas afirmações, que tome uma dose cavalar de sal de frutas, e comece sua pesquisa com Marx-Engles, dê uma passada por Lênin, uma rápida olhada nos governos onde a esquerda ascendeu, e termine antes de enfartar com Gramsci e Alinsky.

 

A imprensa americana e mundial afirma que o Presidente Donald Trump é um tirano, que estaria conduzindo o país a uma ditadura fascista. Tal manipulação da opinião pública seria risível se não tivesse consequências catastróficas.

 

De verdade mesmo, só insurgências sociais resultantes dessas aberrações, já que esta mesma mídia finge ignorar que um dos primeiros decretos assinados por este Presidente (com letra maiúscula por questões morais que se sobrepõem a ortografia!), foi exatamente a determinação de que para cada nova lei, duas anteriores precisam ser extintas – até uma parede entende que essa é uma medida que limita o poder do estado e impede seu crescimento (para as memórias voláteis, que revejam o primeiro discurso do então recém Presidente Donald Trump no Congresso Americano).

 

Logo, fascismo e ditadura, aí já estão impossibilitados em seu suposto nascedouro.

 

Outra nociva falácia é que o governo conservador ou de direita incita o ódio às minorias e a discriminação racial. Por cansativo que seja precisamos responder a essas sandices à exaustão.

 

Respeito às liberdades pessoais todas, respeito a todos os cultos religiosos, liberdade de imprensa, liberdade de expressão, democracia, livre mercado, estado mínimo, incentivo às ciências, e todas as outras reclamações feita pela esquerda, NÃO SÃO ENCONTRADAS NA ESQUERDA, ESTÃO SIM NA DIREITA!

 

Perseguição aos judeus e aos cristãos como forma de impor uma sociedade sem religião, o que na prática resulta na teocracia da sharia mulçumana, estado absoluto determinando inclusive um código de conduta pessoal, economia estatizada, imprensa estatizada, educação doutrinadora e filosofia relativista SÃO SISTEMATICAMENTE IMPLEMENTADAS PELOS GOVERNOS ESQUERDISTAS mundo afora, e no momento temos alguns exemplos viscerais como Sudão, Coreia do Norte e Venezuela.

 

Precisamos ir mais longe???

Até não precisaria, mas iremos!

 

O protesto em Charlottesville, de minorias como o Black Lives Matter, grupos Antifascistas, e defensores de todas as justiças sociais engana algum desavisado por 30 segundos, talvez menos, afinal, como em tudo, a primeira pergunta é “quem banca, quem financia?”, e coincidência das coincidências, encontramos a Fundação Soros, de George Soros, aquele mesmo que já gastou um bilhão de dólares nos últimos 8 anos para derrubar a direita em diversos países e que prometeu tirar Trump da presidência dos Estados Unidos.

 

Maluco é quem não entende que a implantação de um governo único é o sonho dourado de megalomaníacos como Soros, e globalismo pode bem ser resumido como fim das soberanias dos países que seriam na prática e de fato, escravizados – por isso, o Conservador Presidente Donald Trump é não apenas uma pedra no sapato de corporações gigantescas como as de Soros, Rothschild, Bilderberg, Rockeffeler e Summers, para citar alguns, mas sim uma muralha a ser transposta. Aliás, os quatro últimos nomes que acabo de citar, são proprietários dos maiores bancos e das maiores seguradoras dos Estados Unidos (do mundo também, mas isso agora não é tão revelante), e que surpresa!, financiaram os senadores que votaram contra o Presidente Trump e contra o fim do sistema de saúde pública, fraudado e inoperante, Obama Care, ou seja, pagaram senadores de direita, como o execrável John McCain, um militar herói de guerra que não tem honrado a sua farda e nem seu compromisso com a população, já que tem defendido os interesses corporativistas em detrimento dos interesses de seus eleitores, que por acaso, são os mesmos civis que ele jurou defender.

 

Trocando em miúdos, a população paga, e paga caro, não recebe o serviço pelo qual pagou e bancos, seguradoras e políticos corruptos se refestelam no dinheiro público – eis aí o modus operandi esquerdista.

 

O que isso tem a ver com o protesto de Charlottesville?

Tudo!

 

É preciso entender que o Presidente Donald Trump tem enfrentado diuturnamente todo o tipo de resistência. A esquerda, o Partido Democrata (que é hoje o maior partido comunista) tem se desdobrado inclusive rescrevendo a narrativa histórica. Acusam os conservadores de Supremacia Racial Branca, incitando lunáticos raivosos como os do Black Lives Matter contra a direita americana, contra os conservadores, mas omitem os seguintes fatos:

  • A Ku Klux Kan é Democrata, é de esquerda. Foi criada por esquerdistas democratas e continua tendo entre seus membros APENAS esquerdistas.

  • Os Supremacistas Brancos, outro grupo racista, também é esquerdista democrata.

Mais fantástico ainda é como rescrevem a história:

  • Na votação da lei que extinguiu a escravidão negra nos EUA, o GOP (ou Partido Republicano) votou em absolutos 100% a favor do fim da escravidão, contra 77% dos Democratas que votaram contra (o restante se absteve).

  • Na votação da lei sobre cidadania e direitos equalitários, 94% do GOP (Republicanos) votou a favor, contra 100% dos Democratas que votaram contra.

  • Na votação de direito ao voto para todos os cidadãos, sem distinções, os números são ainda mais dramáticos: 100% do GOP (Republicanos) votaram a favor, e 100% votaram contra.

Essas três importantes conquistas só foram possíveis porque o GOP, ou Partido dos Republicanos, que são os Conservadores, tinham maioria no Congresso. Difícil entender se é mais abominável que o Partido Democrata hoje tente se apoderar desses fatos históricos ou se é pior que encontre quem neles acredite.

 

Lembram-se de alguns parágrafos anteriores quando mencionei que a esquerda havia tomado os meios acadêmicos, culturais e midiáticos?

Pois bem, não foi por acaso… Somente reescrevendo a narrativa histórica é que conseguem encontrar apoio. Ou alguém imaginaria Harvey Milk apoiando o Aiatolá Khomeini?

 

Assim, ferve o caldeirão: os Democratas querem um governo esquerdista, determinando desde o nascimento do cidadão todos os detalhes de sua vida por um super-estado absolutista, mas o ditador é Trump, que defende com unhas e dentes o encolhimento do estado e fascista são os republicanos que querem a manutenção das liberdades pessoais e os valores judaico-cristaos; o Black Lives Matter e os Paanteras Negras saem por aí abrindo barrigas de mulheres gravidas, esmagando crianças e bebês, e queimando homens pelo hediondo crime de terem nascidos brancos, mas são os brancos de classe media, achacados pelo governo comunista de Obama, que hoje só se preocupam em tentar pôr comida na mesa e pagar os exorbitantes impostos que sustentam essas minorias, os racistas; a comunidade LGBT que agride inclusive fisicamente, persegue política, financeira e socialmente qualquer um que eles acreditem discordar de sua agenda mas preconceituosos são os católicos e os protestantes que não querem ensinar aos filhos as baboseira da ideologia de gênero; as feministas, financiadas pela Planned Parenthood, gritam hoje em seus protestos pelo aborto no pais inteiro, inclusive após o nascimento (por mais paradoxo que seja!) mas intolerantes e  intransigentes são as muitas vozes que se levantam contra o infanticídio.

 

Só é possível mesmo imaginar um inferno com Lênin comemorando seu Decálogo ao lado de Alinsky celebrando seu Manual.

 

A ignição do protesto em Charlottesville, que deixou 1 morto e 19 feridos entre os manifestantes, e outros 2 mortos com a queda do helicóptero da polícia,   foi uma petição feita à Universidade da Virginia para retirada da estátua do General Lee, o comandante do exército Confederado, na Guerra Civil Americana.

 

Segundo o estudante (negro), a estátua seria ofensiva aos negros, assim como toda referência aos Confederados, já que os Confederados defendiam a escravidão, e que ninguém duvide que a escravidão é um dos mais monstruosos crimes humanos, se não o pior deles, contudo, que também ninguém duvide que essa petição tem todas as características de mais uma das manipulações da esquerda, quando quer causar uma comoção social.

 

E precisamente aí começa a confusão esquerdista que tenta convencer a própria história de que os Republicanos e os Confederados eram o mesmo grupo. Os Confederados, ou a Confederação, era a união de cinco estados do Sul dos Estados Unidos, de economia agrícola, escravagistas, e que foram declarados ilegais pelo Presidente Abraham Lincoln e seu governo republicano que pôs o ponto final na escravidão de negros americanos.

 

Um cidadão chamado Jason Kessler, que se autodenomina um nacionalista branco, organizou um protesto que ele chamou de “Unindo a Direita”, autorizado pela prefeitura da cidade, contra a retirada da estátua por não tolerar que a história fosse reescrita e que heróis brancos fossem esquecidos ou tornados vilões por simples submissão ao politicamente correto.

 

Embora Kessler não defenda nenhuma ideologia supremacista ele está assim sendo rotulado pela esquerda americana e suas minorias. Consta que a agressão inicial teria partido de um supremacista branco, integrante de um pequeno grupo que se juntou ao “Unindo a Direita” de Kessler.

Se o protesto era de direita, o que os supremacistas brancos estavam fazendo se unindo a eles?

Ganha um doce quem adivinhar.

 

Os Democratas, o que inclui o prefeito Michael Signer, levaram para Charlottesville grupos anti-direita, notadamente o “Antifa”, um grupo violento especializado em lutas anti-protestos de direita, que sempre aparecem vestidos de preto, encapuzados, mascarados, e fortemente armados.

 

Semelhanças com os Black Blocks do Brasil não são meras coincidências (lembram-se da perguntinha mágica “quem financia?”). Igualmente armados estavam os membros do “Black Lives Matter” (acreditava-se de início que eram uma versão moderna dos Panteras Negras dos anos 60, mas não, são tão terroristas quanto, e também DEFENDEM A SUPREMACIA NEGRA, morte aos brancos, bolsas e cotas negras e o fim do capitalismo; já deram as caras lado-a-lado, em outros protestos).

 

Alguma dúvida de que a intenção era um violento confronto? Caso haja ainda alguma dúvida, junte-se o fato de que o contra-protesto também foi autorizado pela mesma prefeitura.

 

Para quem ainda não entendeu, o alvo é o governo do Presidente Donald Trump, pintado e rotulado como líder de fascistas, nazistas, etc, inclusive pela mídia (lembram das mega-corporações supra citadas? São as proprietárias das mídias todas).

 

Mais uma vez os Democratas, assim como toda a esquerda mundial, inverte a narrativa e torce os fatos.

 

“No futuro os fascistas nos chamarão de fascistas” – Churchill nos avisou.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Por que a esquerda prega a diversidade, mas idolatra pessoas brancas e ricas?

February 17, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square