© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Escola canhota.

August 30, 2017

 

Nada demais se o seu filho vestir uma camiseta com a cara do Che para ir a um show de rock. Normal. Afinal o Che tem o jeito debochado do herói que despreza os covardes  e que lutou heroicamente pela libertação dos povos. Adolescentes adoram sua fama de quem se sacrificou pelos pobres e oprimidos. Mesmo sem conhecer direito a real história dele. E é aí que mora o perigo. Se o seu filho vê assim o Che, você tem em casa um problemão, amigo. 

 

Por que será que um sujeito como o Fidel, por exemplo, ainda habita a cabeça dos jovens? Pior - por que nos tempos de agora, com o povo venezuelano esmagado por uma ditadura narco-marxista, ainda tem os que acreditam que o Maduro (...o Maduro!) estaria lutando por uma revolução socialista na Venezuela contra los gringos, que só querem o vil metal? 

 

Na opinião dos que lutam pela implantação do projeto Escola Sem Partido, o problema grave é que o Esquerdismo ocupou por inteiro o edifício da escola brasileira, de alto a baixo. Essa mentalidade falsamente socialista, comunista mesmo, invadiu tudo - desde o porão até o último andar de nosso ensino, enchendo cada m2 de meias verdades e mentiras inteiras. Partidos de Esquerda tomaram o MEC, aprovando seus currículos. Elegeram a burocracia que controla o ensino. Promovem manifestações políticas da Esquerda nas ruas, disfarçando isso de reivindicações salariais e trabalhistas. 

 

Mas no fundo são sindicatos esquerdistas que tem principalmente o objetivo de fazer a cabeça dos alunos. Que depois de formados se tornarão professores, aliciando novas gerações que continuarão a bostejar as teorias que mamaram na infância.

 

Os comunistas  conseguem suas vitórias porque além de seguirem bovinamente a estratégia gramsciana de destruição dos valores convencionais, suas idéias combinam com a revolução que quer reconstruir uma sociedade que consideram falida. Essa linguagem idealista e revolucionária fala direto com os jovens, polêmicos e contrários, dramaticamente opostos ao status quo. Para entender isso, basta lembrar como fomos em nosso tempo. 

 

A direita é fichinha em suas posturas e argumentos. E as reformas políticas da Direita são pífias, irrelevantes e fakes. Mais nocivas ainda do que o esquerdismo. Parece (para todos nós) que a Direita só quer mesmo é manter as estruturas políticas intocadas, que favorecem a corrupção e meia dúzia de filhos da puta negocistas agarrados a um poder comprado, numa verdadeira máfia.

 

Tanto a Esquerda como Direita detestam a Democracia e querem tirar proveito dela. 

 

E assim que recomeça o ciclo das civilizações, nós já entrando nos derradeiras etapas desta nossa era atual. A Escola Sem Partido quer que a educação seja mais equânime, mais neutra, mais justa. O que duvido que aconteça. Que os professores ensinem os dois lados da moeda, para educar os jovens a pensar por si próprios, sem tanto preconceito. 

Não acredito nisso. Somos a minoria-minoria contra uma casta que jamais vai abrir voluntariamente mão do poder e do dinheiro.

 

Teríamos que mudar o contexto político, primeiro o do Estado e depois o da Escola. Radicalmente. Temos que nos acostumar a pensar dessa maneira. Com uma AK-47 teórica nas mãos, como fazem nossos inimigos.

 

Imagine o Temer, ex sócio do pt do lula e da dilma, encrustrado nos mais retrógrados valores da política da corrupção, encabeçando uma Revolução desse tamanho...pffft!

No way, José!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Cracolândia em guerra

January 17, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square