© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Rebeldes sem causa

September 29, 2017

 

Intrigados, observamos que surge por aqui, nas redes, um novo cerebrotipo: o perito em contestação.

Especula-se que seja uma variação da espécie 'homos isentorius', popularmente conhecido como isentão.


O contestador duvida de tudo. Até as verdades mais cristalinas tem que ser provadas e confirmadas, desde a origem, com firma reconhecida e tudo.
Nestes tempos de informação fake, o contestador nada de braçada, feliz e faceiro.

Todo e qualquer fato tem dezenas de deliciosas possibilidades, de interpretações, de exercício da elucubração.


As conspirações são um dos pratos preferidos do duvidador: o que é afirmado, dito ou é fato notório sempre esconde outra intenção, inversa, reversa, ou contrária do contrário.

A posição é bacana, comoda como aquele nosso sofá antigo de estimação: o contestador é o paladino da verdade, em sua busca incansável pela verdade. Mesmo que não busque nada a não ser a própria dúvida.
Um status bacana, que o distingue dos crédulos.


E tem outro benefício inegável, não exige comprometimento com nada, com causa alguma. O duvidador está acima destas preocupações mundanas. É mais esperto do que os que colocam a cara à tapa.


Contestador não leva tapa, não defende nada.

 
As vezes, para não ficar feio demais, eles afirmam, nebulosamente, não aprovar coisitas como "corrupção", etc.
Mantém a fachada intacta.

 

Buscar a verdade nestes dias é necessário, todos sabem disso.


Por outro lado, a obsessão e o exagero nesse sentido não levam a nada. Um nada onde tudo pode ser, ou tudo pode não ser.
Um nada onde, no final, a busca pela verdade só acaba achando uma coisa: mais dúvidas.


Afinal, não existem verdades absolutas, a não ser na cachola do rebelde.

Felizmente, existem paliativos no mundo dos rebeldes sem causa.
O futebol, por exemplo, que é uma ciência exata.
Os 7x1 contra a Alemanha, por exemplo, que enterrou a ilusão dos "melhores do mundo", para citar um tosco exemplo, não permite contestação.


Ou será que permite?

 

O fato, a não ser que me contestem, é que o rebelde sem causa consegue a façanha de ser mais pentelho que o isentão.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O bezerro de ouro e a liderança política

November 12, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square