© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Lula, na mão grande.

October 30, 2017

Ele "pegou" nosso dinheiro, de todas as maneiras. E, ao contrário do El Chapo não dividiu nem um pouco com os pobres.

 

Se você viu os filmes sobre El Chapo, o narco-traficante mexicano,   viu que aquele  personagem comprou o aplauso  popular, disfarçando sua intenção de se proteger da polícia - ao dar ajuda misericordiosa  aos  despossuídos.

 

Entregou casas, cobertores, abrigos, e dinheiro a quem precisava. Virou um Deus na região onde vivia.

 

Seu busto, em louça pintada de branco, com grandes bigodes pretos, até hoje é mostrado entre flores, nas feiras populares. 

 

Fez fortunas imensas com o tráfico de drogas, cometeu crimes inomináveis em sua carreira criminosa.

 

Mas teve a visão, a inspiração que o lula não teve: ele ajudou pessoalmente

os necessitados. Foi, de certa forma, caridoso, humano.

 

O lula, que se saiba, nunca botou a mão no bolso, ele é um acumulador de fortunas, ávido, sempre indo atrás de mais, mais e mais dinheiro. Com tanta fortuna juntada, ainda tem a coragem de brigar pela aposentadoria  de sua esposa morta.

 

E o bolsa-família, que fez sua imagem, é hoje um projeto falido, desmoronado por canalhices de todos naipes. Mesmo os mais pobres vão reconhecendo, cada dia em maior número, que o lula é um farsante, um ladrão compulsivo, que só serviu à si mesmo e à sua família. Sem esquecer seus cúmplices, muitos deles pendurados no governinho Temer, igualmente cínicos e avaros.

 

Como nos filmes policiais, quando os bandidos são colocados de pé, atrás de um vidro, ele é reconhecido como alguém a quem se aponta o dedo, sendo acusado de “ladrão”. Pode ser que o lula não acabe como o El Chapo, fugindo, trôpego, por um telhado escorregadio, perseguido pela polícia, que lhe deu fim no meio de um tiroteio. 

 

Mas o final decadente do lula, que prejudicou milhões de pessoas, está hoje sendo decretado pelo vazio de seus comícios, com meia dúzia de pelegos levados de ônibus, de cidade em cidade, para lotar seus magros “encontros com o povo”. Melancólico, quase um epitáfio.

 

El Chapo, conseguiu manter um mínimo de seu mito e respeito. Ao lula, só vai sobrar, no máximo, o jejum dos aplausos e o desprezo do povo enganado por ele.

 

E isso na Papuda, esperemos.   

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Um táxi chamado Brasil

February 25, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square