© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Jornalismo suicida!

November 2, 2017

Uma boa briga purifica o ar. Foi o que aconteceu durante a campanha do impeachment da Dilma "Refinaria de Pasadena" Roussef.

 

Inventariando nossa lista de amigos no Facebook não mais encontramos quem defende um Brasil petralha.

E também não mais encontramos quem defende o PSDB ou o PMDB.

 

Sei que há alguns enrustidos, mas esses camuflados se condenam e em silêncio não poluem a atmosfera.

 

Mas há os que dependem de postura aparelhada para sobreviver.

E só isso pode explicar porque jornalistas defendem o fim das próprias carreiras; ou eles são tão ingênuos que não enxergam isso?

Há por trás de quem defende Lula e sua quadrilha um suicídio profissional coletivo, difícil de entender.

 

Na ideologia (?) desses jornalistas sobrevive um projeto de cubanização do Brasil. E o que acontecerá se Cuba se instalar no Brasil, ou vice -versa? 

 

Sabemos que morrem as liberdades. E morrendo as liberdades, morre a imprensa. A imprensa é a primeira vítima de uma ditadura comunista.

Nossos desavisados jornalistas de esquerda são como o sapo que dá carona para o escorpião atravessar o rio. Se não sabem disso é por demência mental ou interesse chulo. Antes dos idiotas dominarem o mundo, como profetizou Nelson Rodrigues, parece que dominaram a imprensa.

Destruir o Brasil é pouco, querem se destruir também.

 

Há casos específicos que não deveriam, mas se justificam pelo dinheiro.

 

Podemos compreender um Ricardo Boechat, que ora está trepado no muro, ora está do lado de lá, ora do lado de cá. Ele tem um emprego que o conduz a tais malabarismos estrábicos. Compreendemos também alguns globais com seus salários de marajá, que não se justificam.

 

Parêntese: se alguém tiver argumento para me convencer que ler um texto na bancada do JN vale 800 mil de salário, por favor me alivie dessa dúvida. Um âncora de telejornal vale o que pesa, digo, o que pensa, mas um locutor, não. O âncora escreve a notícia e dá opinião, e sabemos que na Globo locutor não opina, é norma da casa não opinar, é proibido se expressar. No caso de William Bonner, graças a deus, imaginem como seriam as opiniões dele.  Há mais alguns que se justificam como parte de uma engrenagem que apenas obedece interesses do patrão.

 

-  Mas e o resto?

 

Chegamos nos jornalistas militantes. Se fossem ideológicos estariam no partido. Mas empregados, trabalham para que seus empregos sejam temporários. Jornalistas que defendem o regime comunista, se tivessem um mínimo de inteligência saberiam que o sucesso acaba com a carreira deles, pois não há convivência possível entre comunismo e imprensa. Por isso, é licito prever que todos vão acabar; numa democracia de verdade também não sobra espaço para idiotas que se vendem por um emprego de ordem petralha.

 

Em regime nenhum há espaço para o jornalismo doutrinado e medíocre.

 

Podemos afirmar, então, nossos jornalistas aparelhados estão fadados ao ostracismo. Que seja, então, num Brasil verdadeiramente democrático, que só será possível com uma intervenção que destitua os Juízes nomeados, classistas do STF e prenda todos os políticos corruptos.

Com eleição limpa, sem urnas eletrônicas, em 2018.

 

Continuo sem um candidato para apostar com convicção.

 

Talvez o melhor seja Alvaro Dias. Depois do meteoro Doria, sobram Bolsonaro e o Senador paranaense, que me parece mais bem preparado.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Cracolândia em guerra

January 17, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square