© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Alemanha: assassinato e censura

January 4, 2018

Este assassino covarde é um “refugiado” afegão que entrou na Alemanha em meados de 2016, graças ao governo Merkel e sua tresloucada política de "asilo". 

 

Abdul D. quando chegou desacompanhado ao país não apresentou quaisquer documentos e declarou ter apenas 14 anos de idade. 

O islâmico teve seu pedido de asilo negado em fevereiro de 2017.

Em tese deveria ter sido, imediatamente, deportado. Entretanto, em razão da sua suposta "menoridade" aceitaram um recurso que permitiu sua permanência.

 

No dia 27 de dezembro de 2017, o criminoso esfaqueou sua ex-namorada alemã dentro de uma drogaria, na cidade de Kandel. Mia tinha apenas 15 anos de idade. A menina tomou inúmeras facadas, uma delas foi letal e atingiu seu coração. 

A família da vítima, por duas ocasiões, já tinha representado criminalmente contra o refugiado, que ameaçava, provocava e agredia a jovem, depois que ela pôs fim ao relacionamento dos dois. O pai de Mia declarou que “ no início do namoro, acolheu o refugiado como filho”. 

Mia morreu no local do crime e na presença de diversos clientes que se encontravam no estabelecimento. 

 

O pai do “refugiado” foi localizado no Afeganistão e disse que seu filho não tem 15 anos e há muito tempo já é maior de idade. Entretanto, a justiça alemã não aceitou tal declaração.

 

O assassino foi preso, mas não quis prestar declarações. Se recusou, terminantemente, a falar.

 

Uma grande discussão está em curso no país: as autoridades poderiam exigir compulsoriamente testes médico-legais para a comprovação da idade de todos “refugiados “ sem documentos e que se declaram menores de idade? 

A maioria absoluta dos políticos alemães já disse que é contra tal drástica medida. Não podem fazer isto, pois tal conduta fere e constrange os pobres requerentes de asilo. 

 

Assim como no Brasil, a proteção vale apenas para bandidos. Para as vítimas restariam apenas palavras vazias, flores, velas e bichinhos de pelúcia depositados no local do crime.

 

A Alemanha vive uma onda assustadora de esfaqueamentos.

A imprensa alemã e os políticos não se importam muito com estes casos.

Censura 


“ Was zur Hölle ist in diesem Land los? Wieso twittert eine offizielle Polizeiseite aus NRW auf Arabisch. Meinen Sie, die barbarischen, muslimischen, gruppenvergewaltigenden Männerhorden so zu besänftigen? " Beatrix von Storch"

 

“Que inferno está acontecendo neste país? Por que um site oficial da polícia de Nordheim Westfalen está tuitando em árabe? Os senhores pensam que os bárbaros, muçulmanos, grupos de estupradores e horda de homens ficarão, por isso, quietos? 

Este foi o tuíte da parlamentar Beatrix von Storch, do Partido AfD.

 

Von Storch está sendo criminalmente processada por xenofobia, incitação ao crime e já coleciona mais de 60 representações criminais. Tudo isso porque questionou o motivo de uma instituição oficial alemã ( a polícia) estar tuitando em árabe, quando a língua oficial do país (ainda) é o alemão.

 

Ela corre o sério risco de perder sua imunidade parlamentar, ser condenada e ser para sempre alijada da política alemã.

 

A nova lei da censura que está em vigor na Alemanha é de uma indecência ímpar. Eles conseguirão calar quase todos.

O país do regime de Angela Merkel & União Europeia vive uma democracia disfuncional no momento.

    Tags:

    Share on Facebook
    Share on Twitter
    Please reload

    Posts Em Destaque

    Futurologices

    November 14, 2019

    1/10
    Please reload

    Arquivo
    Please reload

    Siga
    • Facebook Basic Square
    • Twitter Basic Square
    • Google+ Basic Square