© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

La belle de jour

January 12, 2018

 

Vive la France - Liberté, Égalité, Fraternité et la Belle De Jour!

Foram as francesas que mostraram ao mundo que as coisas precisavam mudar. E mudaram , pelo menos a maioria da Europa. Elas , feministas com propostas irrefutáveis: o ser humano é igual independente do sexo.

Sim, sem cartão de crédito para ser “do lar” e sem que carreguem as sacolas pra elas

- i g u a l d a d e!


Mulher pode o mesmo que homem SIM e os homens idem. Assim os salários iguais, homens e mulheres cozinham e limpam a casa e cuidam dos filhos e homens ficam em casa para mulheres trabalharem.

-I g u a l d a d e!


E os homossexuais são respeitados . Graças a elas, às mulheres inglesas, aquelas operárias e as operárias e mulheres alemãs e as austríacas e as que queimaram sutiãs em Paris. E as que pensaram e escreveram com inteligência . A reboque de Marie Curie e o marido que a incluiu no mundo científico e Simone de Beauvoir (apesar do machista e escritor medíocre que foi Sartre e que não fosse a madame Beauvoir teria ficado no ostracismo).


Mas...
Que feminismo é este de usar a causa pessoal - a baixa auto-estima, ser gorda, para mudar o conceito de beleza? Gordas se estão insatisfeitas, mudem a dieta e fechem a boquinha! A passarela da moda não é pra gordas - há um perfil. E nem toda magra , nem toda alta cabe nele. Nem toda branca ou negra ou amarela!


Feminismo de Hillary Clinton que é chifrada na cara do mundo no chomp-chomp do boquete e continua com o distinto em nome do poder e das aparências? E Oprah? A colaboradora do status quo de abusos e testes de sofá para os amigos do gênero Weinstein? E Merryl Streep usando verba que deveria ir para apoio a causas prementes em seus projetos e negócios pessoais?


Essas donas da falsa moral e do feminismo de araque te representam?


Ah, vá elevar a sua auto-estima. Para de ser objeto e querer ser aceita pelo grupinho e virar homo ou desfilar com jogador de futebol ou o mané do bairro. Seja o que você quiser ser, mas não jogue para os outros as limitações que lhe cabem. Freud resolve isso! Não o vizinho ou a sociedade.

 

Resolva-se!


Catherine Deneuve : você me representa. Brigitte Bardot, você me representa. São o que quiseram ser. E o que os outros acham, não importa. Pessoal e intransferível. Mulheres de personalidade inquestionável.

Sorry Marilyn Monroe, você fez teste do sofá e aceitou ser material de uso de uns e outros. Elas, não!


Merci et a bientôt!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Um táxi chamado Brasil

February 25, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square