© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Dois pesos e duas medidas

January 29, 2018

 

 

 

A partir das confusas estrepolias da justiça brasileira, nunca a dualidade reinante na terra brasilis esteve tão evidente.

De um lado, a justiça que funciona enquanto e como justiça.

A mesma que respeita os conceitos universais do mundo civilizado e a Constituição do país.

Essa -diante da qual todos os cidadãos são iguais- foi a que acabou de condenar o já condenado pelo povo: lula da silva.

Do outro, a justiça enlameada de Gilmar Mendes, ícone hoje do Supremo Tribunal Federal, que atuando com braço pesado pra pobres e inimigos, afaga, adula e absolve os amigos.

Numa simplificação inocente, poderíamos afirmar que se trata do bem e do mal, do certo e do errado, do moral e do amoral.

Mas não é tão simples.

Essa dualidade, ou dupla personalidade se espalhou pela sociedade brasileira durante anos, rachando o país em dois brasis distintos.

País que se divide culturalmente até entre as anitas, claudias leites, pablos, e os artistas talentosos que parecem ter se retirado do cenário. Belchior, Elis Regina, Adoniran, Ira, Camisa de Venus, Legião parecem ser apenas um sonho do passado, engolidos pela anti cultura do partidão desse surrelista presidente que jamais leu um livro.

Outros, outrora talentosos, se entregaram. Como Caetano, Gil, Betânia, Chico, hoje adeptos do 'levar vantagem em tudo' sem produzir nada que preste.

Morar em Paris, afinal, não é pra quem tem talento, é pra quem tem grana,arrotam os socialistas (ou socialites) rouanet.

Não dá pra escapar. O Brasil tem duas caras, onde o que parece ser não é e o que é não parece ser.

 

Na indústria, no comércio, na saúde, na educação, no transporte, na cabeça de alguns, na imprensa dos jornalistas de araque, no empresariado, na banca de jornal e no banco, e até nos puteiros tudo é igual: existe uma forma como as coisas deveriam ser e outra, bem diferente, que é como são na realidade.

 

Torcida e enviesada, a realidade parece ser a do fraudulento STF.

Mas não é.

Essa é a realidade de bandidos. Pode sobreviver por muito tempo, levada no tapa e na mentira, mas acaba um dia.

É seu destino, assim como o destino do excremento é o esgoto.

 

Já se fala em pressão sobre Carmem Lucia para aliviar a prisão do condenado de Garanhuns no STF.

O outro lado da sociedade, a real, tem convulsões e vomita.

E Michel Temer vai ao programa Silvio Santos implorar pela maracutaia da previdência. Daria para rir, não fosse trágico.

Felizmente, hoje, já vai ficando impossível ficar em cima do muro, como é o costume dos espertos 'isentões'.

Hoje, cada cidadão precisa escolher um lado.

E urgente.

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Futurologices

November 14, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square