© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Bolsonaro intimida Diálogo Interamericano

February 27, 2018

 

Uma publicação programada para terça feira (27/02) do site do Diálogo Interamericano trará exposto o medo que a esquerda deste lado do globo tem de Bolsonaro. O título será: “Brazil’s Election and Latin America’s Volatile Politics” (Eleições Brasileiras e as Políticas Voláteis da América Latina).

 

A matéria no site evidencia a preocupação da esquerda internacional com o nome do deputado Bolsonaro e o prevê como principal rival de Lula para a disputa presidencial. Sobre o capitão Jair Messias, o texto diz: “defensor da ditadura militar” e a respeito do Luis Inácio, condenado pela Lava Jato, afirma ser o preferido do eleitorado e o candidato da liderança, mas que pode ser desqualificado pelos processos por corrupção.

 

O texto do site anuncia um evento que será realizado pela revista “Americas Quarterly” e enumera 4 questões que serão os temas do evento:

  • Quais fatores, além de amplo descontentamento e desconfiança do establishment, provavelmente moldarão os contornos da eleição?

  • Quais serão as implicações potenciais para o resto da América Latina?

  • Como o Brasil se compara às eleições no México, Colômbia e outros países?

  • Será que 2018 será lembrado como um ponto de virada na história política latino-americana?

Para abordar as questões, os nomes serão:

  • Brian Winter, editor chefe da Americas Quarterly

  • Monica de Bolle, Senior Fellow do Peterson Institute for International Economics

  • Roberto Simon, especialista em América Latina do FTI Consulting

O evento será mediado por Michael Shifter, atual presidente do Diálogo Interamericano e que foi diretor da Fundação Ford.

 

Confira a matéria neste link.

 

O Diálogo Interamericano é conhecido como uma ONG de lobby político sustentada por fundações, indivíduos e governos através de colaborações espontâneas. Na prática é o centro elegante da esquerda que nasceu do Partido Democrata nos EUA, é o centro estratégico onde reúnem-se os líderes regionais e outras figuras influentes para organizar as agendas de programas socialistas como legalização da maconha, imigração e demais.

 

Sobre a origem da organização e os membros brasileiros já escrevi em um artigo anterior e sugiro a leitura para maiores esclarecimentos.

A novidade aqui é a revista “Américas Quarterly” que em seu site apresenta-se como a “principal publicação de política, negócios e cultura nas Américas” e deixa claro se tratar de uma formadora de opinião das cabeças da esquerda, comunicando uma “agenda” pré-determinada às lideranças. Ao especificar o público leitor, utiliza as palavras (traduzidas) “CEOs, altos funcionários do governo e líderes de pensamento“.

 

“Americas Quarterly (AQ) is the leading publication dedicated to politics, business, and culture in the Americas. Borrowing elements from The Economist, Foreign Affairs, and National Geographic—but with a focus on Latin America—AQ has an influential, agenda-setting audience and a print circulation of 15,000. Readers include CEOs, senior government officials, and thought leaders, as well as a general-interest audience passionate about the Americas. Launched in 2007 and based in New York City, AQ is an independent publication of Americas Society/Council of the Americas, which for more than 50 years have been dedicated to dialogue in our hemisphere.”

 

Confira a informação neste link.

 

 

Brian Winter é co-autor do livro “O Improvável Presidente do Brasil“, junto com Fernando Henrique Cardoso. Indubitavelmente anti-Bolsonaro, já publicou quatro artigos na revista em que é editor chefe, nos quais demoniza o capitão, acusando-o de homofobia e apoio à tortura.

 

 

 

 

 

Monica de Bolle é autora do livro “Como matar a borboleta-azul: uma crônica da era Dilma“, uma crítica feroz avessa ao mandato Dilma, mas também anti-Bolsonaro. Em um artigo escrito em seu site denominado “Bolsonomia” iguala o capitão a ex-presidente Dilma, o critica em texto no site Poder 360, em seu twitter já o chamou de deselegante.

 

 

 

Roberto Simon, embora seja um crítico do regime venezuelano, também é contra o capitão Bolsonaro. Um tuíte por Simon postado já viralizou em sites de esquerda como Diário do Centro do Mundo.

Em outras palavras, está nítido que será um evento anti-Bolsonaro por todas as perspectivas: do moderador aos 3 participantes, passando pelas instituições envolvidas.

 

Para Bolsonaro alcançado este nível de preocupação, tanto da esquerda mais ortodoxa pelo Foro de São Paulo, quanto pela fabiana do Diálogo Interamericano, é porque o destino do Brasil é de suma importância para a estratégia de toda a América Latina.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Por que a esquerda prega a diversidade, mas idolatra pessoas brancas e ricas?

February 17, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square