© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Crime e genética

February 28, 2018

 

Tratemos de admitir que Cesare Lombroso estava certo: a genética explica a grande maioria dos crimes!

Veja o caso desse senador de Rondônia, Assis Gurgacs (PDT), agora condenado a 4 anos e 6 meses de prisão pela Primeira Turma do STF por crimes contra o sistema financeiro...

Não é apenas ele que está envolvido na falcatrua: a sua família – o pai, seu homônimo, e dois irmãos - lhe faz companhia. A família tomou empréstimo do Banco da Amazônia para comprar dois ônibus novos e comprou quatro usados: “Eu não sabia que o contrato com o banco era assim tão rigoroso”, explica o pai...

Os ônibus eram pra ser anexados à frota da Eucatur, a empresa de transporte da família Gurgacs...

FAMOSOS EM CASCAVEL

Tanto a Eucatur quanto Assis Gurgacs, o pai, são velhos conhecidos dos moradores de Cascavel, município paranaense da região de fronteira com o Paraguai e a Argentina...

A Eucatur mantinha uma linha ligando Cascavel a Rondônia numa das rotas mais longas do Brasil, por terra...Fazia sentido: a região de Cascavel fora ocupada por famílias de gaúchos desbravadores e destemidos...Começava a faltar terra para os descendentes, o que fazia nascer um intenso fluxo migratório em direção às novas fronteiras do Norte e Rondônia, ainda por ser desbravada, aparecia como grande atrativo...

 O empresário do transporte ganhava dinheiro e aumentava seu prestígio...elegeu-se vice-refeito na chapa do carcamano Jacy Scanagatta...

Tudo ia bem até que, em 1979, é assassinado o jornalista Antônio Heleno, o dono do mais influente jornal de Cascavel, o Fronteira do Iguaçu...

Heleno foi morto a tiros certeiros na nuca numa praça no centro de Cascavel, onde sempre parava o carro no início da madrugada para tomar um lanche...coisa de profissional...

Não demorou muito para que prefeito e vice, ou sejam Jacy e Assis, fossem acusados de mandantes...nenhum dos dois contava, certamente, com a repercussão que o caso alcançaria...pressionado pelos jornalistas, o governador do Paraná, Ney Braga, teve de nomear um delegado especial para conduzir o inquérito...

SEM MISTÉRIO

Em menos de 15 dias, o experiente delegado Raimundo Nonato Siqueira elucidou o caso...Os mandantes foram mesmo Jacy e Assis, segundo o inquérito...

Descobriu-se que fora montada, para a prática do crime, toda uma trama bem urdida para dificultar que as investigações chegassem aos dois mandantes: o Sargento Artur, carcereiro da delegacia de Cascavel, foi incumbido de contratar dois pistoleiros (Toninho Moura e Euclides de Souza), que por sua vez receberam a  missão de contratar outros dois pistoleiros, estes para execução do crime (Walter e Sales)...

Passada a fase da reverberação, teve início a fase da execução: o primeiro a morrer foi Walter, metralhado na frente de uma padaria em Pontaporã (uma menina de 10 anos que saía da padaria com um embrulho de pão morreu junto); o corpo de Sales foi encontrado carbonizado numa plantação de soja próxima a Cascavel; Euclides de Souza foi morto enquanto aguardava julgamento na penitenciária de Piraquara, região de Curitiba; Toninho Moura foi morto a tiros no Mato Grosso e o sargento Artur morreu de enfarte....

Sem sobrar ninguém pra contar a história, os réus Jacy Scanagatta e Assis Gurgacs foram impronunciados, isto é, ficaram outra vez com a ficha limpa...

Jacy Scanagatta elegeu-se  deputado federal dali a alguns anos e chegou a integrar a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal...

Pode isso, Arnaldo ?

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Flagrante atentado à ordem pública

November 19, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square