© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

O bolivarianismo e a eminência parda.

March 10, 2018

 

Recentemente, em entrevista à Enio Mainardi, a Dr. Janaína Paschoal se referiu ao estudo do processo político venezuelano como fator decisivo em sua decisão de dar início ao processo de impeachment de Dilma Roussef, ao lado do Dr. Helio Bicudo e Dr. Miguel Reale Jr.
Essa observação se referia à constatação de que o processo político brasileiro, desde há muito, obedecia e se guiava por muito mais do que orientações internas e regionais.
Muito mais que isso, significava uma alarmante união de forças comunistas, com origem em Cuba, para levar e implantar o socialismo em toda a América do Sul.
Exatamente para isso, em julho de 1990, havia sido fundado por Fidel Castro o Foro de São Paulo.


O Foro foi criado a partir de um seminário internacional do PT. Lula foi um de seus principais organizadores, ao lado do próprio Fidel, Hugo Chavez e José Dirceu.

O Foro tem o objetivo e a missão de levar o regime 'bolivariano' a todo o continente.
Seus exemplos de 'sucesso social' são bem conhecidos: a miséria do povo cubano e a destruição da Venezuela, tal qual a vemos hoje.

Entre outros exemplos lastimáveis de 'implantação bem sucedida do comunismo'.

Uma eminência parda nesse processo, agora com sua atuação exposta, é o ex presidente Fernando Henrique Cardoso, apoiador incondicional de Chavez em 1998, quando de sua eleição, e figura fundamental no golpe de abril de 2002, como suporte ao ditador.
Chavez chamava Cardoso carinhosamente de 'mi maestro'.
Depois de 14 anos governando a Venezuela, Chavez morreu em 5 de março de 2013, assumindo seu vice, o narcotraficante Maduro.
Daí para a frente, é uma conhecida e trágica história.


Vale lembrar que Maduro continuou a ser apoiado pelas mesmas forças; o governo de Lula, e posteriormente o de Dilma, que apoiavam e despejavam grana do BNDES nesse país.
E em Cuba.

Hoje, vemos por aqui 'brasileiros bonzinhos' que acreditam fazer um favor ao povo venezuelano quando criticam ou postam fotinhos da tragédia naquele país.
Como se se referissem à Síria.
Mas não é assim.
Por desconhecimento da história não compreendem que ajudar o povo venezuelano não é favor: é mais -ou menos- do que a obrigação dos brasileiros decentes.
Porque o Brasil tem culpa, e muita, nesse cartório.


E um dos grandes culpados, sempre escondido no alto de seu muro, se chama Fernando Henrique Cardoso.
Em 2014, num evento no Museu de Arte do Rio, FHC se declarou com todas as letras como de esquerda.

Nada mais significativo. A declaração foi registrada pela Folha de São Paulo.

 

A questão brasileira para com a Venezuela não é apenas a de solidariedade para com nossos irmão da América do Sul.
É muito mais que isso: se trata de enxergar no horizonte nosso destino: o mesmo da Venezuela, se essas ervas daninhas não forem erradicadas da vida política.
Mas isso nem todos conseguem enxergar.
Assim como, em 1998, os venezuelanos também não enxergaram.

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Ode aos babacas

December 5, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square