© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Irresponsabilidade sem limites

April 6, 2018

Se alguém tinha dúvidas sobre a malignidade do circuito político em que Lula trafega, o bloqueio de rodovias, as ameaças e anúncios de luta e resistência à ordem judicial de prisão deixam tudo esclarecido. Não há limites ao poder destrutivo de Lula e seus fanáticos.

 

 Os discípulos e admiradores de Che Guevara, que não hesitaria em acionar os foguetes russos com ogivas nucleares se lhe fosse dada a oportunidade, parecem igualmente dispostos a incendiar o país sem hesitar, em sua veneração ao condenado Lula.

 

Não preciso aguardar o noticiário para saber que não lhes faltarão apoios internacionais para reproduzir seu discurso porque a matriz dessa enfermidade mental se comunica em vários idiomas. Por esse motivo, mesmo internamente, partidos brasileiros que, no jogo político, agem separadamente com objetivos próprios em relação ao poder, estão se aglutinando no gigantesco sindicato dos metalúrgicos do ABC.

 

Para que fique claro: a ordem de prisão inclui todos os réus do mesmo processo. Foi expedida por um magistrado que já condenou e absolveu corruptos de vários partidos políticos. Aliás, é bom que se diga: o juiz Moro já condenou um número muitas vezes maior de importantes empresários brasileiros corruptores desses políticos. Suas decisões têm sido, na quase totalidade, confirmadas em segunda instância. Após essas confirmações, só não estão cumprindo pena aqueles que obtiveram do STF alvará para a impunidade concedido pelas mãos “piedosas e generosas” de alguns ministros de mau conceito.

 

Outros cinco presidentes ou ex-presidentes de países ibero-americanos estão presos ou já foram condenados por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro nos mesmos esquemas em que operou e naufragou Lula. Em outros seis processos, sob o mesmo denominador comum, ele é réu aguardando julgamento.

 

Da era Lula, a História dirá, por certo, que degradou o velho patrimonialismo. Essa viciosa mistura do público com o privado ganhou proporções mecânicas (o Mecanismo) e perdeu o pudor. Ficou tudo muito escancarado, muito debochado, expandindo-se no seu entorno familiar, nas relações pessoais e políticas, e se estendendo sobre diversos partidos, empresas e poderes de Estado.

 

*Percival Puggina,é escritor, arquiteto,empresário.

Titular do site   http://www.puggina.org/

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Flagrante atentado à ordem pública

November 19, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square