© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Caos temporário

April 12, 2018

 

Vou andando nesta manhã linda onde o sol explode na minha cara pensando  que falar de política está causando "macaquinhos" na minha cabeça...dando um nó! Esta rua comprida acaba quase na Vila Madalena, por isso passo por vários bairros. As faces que entrevejo não estão nada felizes: nada de comprimentos gentis, risadas pelo caminho...

Também, teriam sentido? Todos estão perdidos e confusos como eu.

A maioria mal acabou de rezar para Lula ser preso e já está rezando para não ser solto! Outros alienados, ou bandidos mesmo, falam em colocar Lula no nome, sugiro Mula...Cortem também o dedo como ele fez para não trabalhar, mas não emporcalhem as cidades! Chega a sua presença!

Picham monumentos, imóveis tombados, até o Pátio do Colégio,onde São Paulo foi fundada! Estes Vândalos  da Mortadela!


Meu cachorro dá um pequeno ganido, um monstro apressado pisou no seu pé, nem pediu desculpas! Vão vendo: dia esnobando na delicadeza das cores reluzentes, pessoas nem tanto assim...


Volto a pensar em política! Aí sim tem monstruosidades!

Ontem teve porre no Supremo, hoje vão repetir a dose. Não se entendem entre si, fingem não entender a lei também, só fingem para salvar os seus Bandidos favoritos!
Não é que o ministro Barroso afirmou que nos  EUA e Alemanha, e outros países, o Supremo julga  de  três a seis habeas corpus por ano, aqui só nove mil no ano passado. Dá para aceitar? Querem todo Quadrilhão liberto. Ops! Jurei não pensar  em política no meu passeio, mas estou viciada...E nada faz sentido.


Relembro a peça que assisti no teatro da FAAP. Arrasa com a arte contemporânea, de um modo bem tosco, dentro de uma das melhores escolas desta arte... O ator, Caruso, até que esforçou- se bem, o cenário caprichado, mas o texto...ufa! O Fulvio Stefanini dormiu quase a peça inteira- aqui posso dedurar. E olhem que era estreia, com toda a macacada global aplaudindo de pé no final!


Na Vila Madalena relaxo um pouco, adoro este bairro de artistas. Tem um astral legal. Entro num boteco para comer um sanduíche já que o meu café da manhã foi dietético. Putz! Tudo orgânico, menos eu. Queria uma coca e um sanduíche de filé com queijo, pelo amor de Deus! Em vez disso oferecem, e aceito, um pão integral com restos de verdura amassados e suco de beterraba misturado com ervas, ou capim? Aceito conformada, o meu estômago pedindo para encher o seu vazio.
Pago e o dono examina a minha nota de vinte como se fosse de cem.

Olho perplexa e explica: "Agora estão escrevendo "Lula Livre" no real! Não aceito!" Sugiro que devolva, mas antes corrija para "Abomino Lula Livre". Recebo o meu primeiro sorriso do dia!


Saio à rua, esta continua linda.Tento ser mais otimista: todo este caos é temporário, vai passar. Tudo é temporário, e foi o escritor "jurado de morte"  pelo Islã quem disse, Salman Rushdie.  E acrescentou que até o amor era assim. "Ama-se apaixonadamente durante dez anos e, um dia ao acordar, o amor se foi. Mas, dada a condição da natureza humana, que muda e declina até o seu fim, é uma base sólida para se construir uma vida, como vim a descobrir...Não perco tempo temendo pela minha vida. Não podemos impedir que as pessoas brinquem de mocinho e bandido, elas gostam demais deste jogo!"


Se ele, perseguido por terroristas e vivendo escondido, pode ser otimista porque não eu? O dia fica mais belo, só com este pensamento...

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O homem do controle social

December 7, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square