© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

A diabetes e o petismo

June 14, 2018

Ontem à noite deu uma certa fome, abri a geladeira e não achei nada.

Vi então umas batatas em cima da mesa. 
Liguei para minha mulher e pedi a ela uma receita de  purê.

Vieram as instruções: cebola, manteiga, sal, leite, etc.

As batatas eram enormes. Comi e só consegui dormir às 5 da manhã, me senti péssimo, fiquei rolando.

 

Por que conto essa aventura gastronômica? 

Porque me descobri, semanas atrás, com intolerância ao açúcar.

Diabetes, sendo claro. E batata tem açúcar. 

Como assim? Bem, tudo tem açúcar, tenho que reaprender isso.

Arroz, até o inocente arroz, contem açúcar. Isso quer dizer que o demônio da glicose está escondido sob os mais diferentes disfarces. Tenho que ficar alerta, permanentemente, buscando indícios do veneno.

Esse recondicionamento na maneira de comer vai ter que acontecer mesmo, de qualquer jeito, questão de vida-ou-morte.

 

Bom, desculpe, mas tudo isto tem a ver com o petismo.

(Meu filho até me acusou de estar monotemático.) Que seja. Mas a verdade é que o petismo hoje faz parte de tudo, é onipresente. 

 

Se o Lula e a Dilma morressem hoje a maneira de pensar “petista”,

ainda permaneceria nos hábitos dos brasileiros: 
-O policial que não multa se você der uma gorjeta. 
-O dentista que pergunta se você quer recibo. 
-O médico no hospital que dá um cartão indicando para seguir  o tratamento no consultório particular dele. 
-O vestibular, que tem gente lá fora vendendo o gabarito das provas.

-O caixa que passa a perna na hora de pagar a conta. 

 

Enfim, a corrupção tomou conta de nossa psique, impregnou nossa vida, tornou-se familiar e até aceitável. Essa é a nossa grande tragédia.

A corrupção dos políticos escorreu do topo da pirâmide social, do alto dos cargos de presidente, governador, senador, deputado disso, daquilo, prefeito, vereador... até a base do triângulo, que só consegue enxergar a sobrevivência se ligada à desonestidade, ao jeitinho, ao (sejamos claros) roubo, puro e simples. 
Ficamos imunes aos escândalos, à sensação de impunidade. 

 

Nada, nenhum crime tem castigo eficiente. 
E nem o STF impõe respeito de autoridade impoluta. 

Nossa sociedade está encharcada no vício da safadeza aceitável.

Isso pode ter acontecido antes do PT, em nosso país, claro. Mas agora

a fossa cheia de merda desbordou e tudo está tomado. 

 

Perdemos nossa capacidade de enxergar açúcar nas batatas.

Vivemos na impunidade e nos habituamos a ficar espectadores - muitos até invejosos - do cinismo com que assaltam o erário público, nos assaltam pessoalmente com os mais escorchantes impostos do mundo, transformam uma grande empresa como a Petrobras num ninho de bandidos, de urubus, cada um arrancando seu pedaço de carne da moribunda e levando os dólares para fora.

 

Os juízes, as "otoridade" largaram o expediente e foram tirar uma sesta, ficando distantes e cúmplices do assalto tornado permanente em todos os momentos de nossa vida.

 

O PT precisa acabar, sim, essa é uma necessidade desesperadora, estamos apodrecendo na convivência com essa máfia. Mas, mais importante de tudo, precisamos é acabar com o petismo dentro de cada um de nós. 

Detectar o inimigo em todas as suas facetas, o açúcar que nos faz doentes.

 

Bom, o dia está lindo, o céu azul, vou sair e comprar umas verduras e legumes frescos. Não batatas, certamente.

 

*Ilustração Nancy Carpi

Tags:

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Pelé,Xuxa e Greta Thunberg

December 13, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square