© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

É diabólico

September 2, 2018

A esquerda criou uma espécie de histeria mundial onde virou moda a desonesta classificação de “nazistas", “fascistas" e "pessoas inumanas”, para todos aqueles que reagem contra a violência extrema ou clamam por segurança e justiça.

Sabe-se que a mais importante função do Estado é proteger seu cidadão.

A ele cabe a missão de garantir a segurança das pessoas e usar de todo seu aparato legal e policial para que a sociedade sinta-se segura, amparada. E, obviamente, não impedir que este cidadão exerça o seu direito à legítima defesa. 

 

A partir do momento em que o Estado começa a falhar na segurança pública, reiteradas vezes, dias, semanas, anos ou décadas, como no caso do Brasil, e o cidadão comum não tenha assegurado o sagrado direito à legítima defesa, mostra-se mais do que natural o surgimento de um sentimento no seio da desprotegida sociedade, exigindo do Estado medidas eficazes à proteção da vida e da propriedade. Caso este sentimento seja ignorado, em contrapartida, provavelmente, nascerá o desejo de justiça com as próprias mãos.

 

Entretanto, a bizarrice imposta pelo marxismo cultural tratou de resolver a questão calando seus cidadãos. Mesmo o Estado não cumprindo seu papel precípuo e não permitindo a existência, inclusive, do direito de defender-se legitimamente, caso qualquer cidadão reivindique viver em uma sociedade segura, será, automaticamente, taxado de “nazista”, “fascista” e outros adjetivos inadmissíveis.

 

Isto é de uma crueldade absurda! Querem que o cidadão de bem aceite como cordeiro ser eliminado por criminosos. Querem fazer crer que ele não tem o direito de defender sua vida ou seu patrimônio, e que tudo isto trata-se da mais absoluta normalidade. É diabólico.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O homem do controle social

December 7, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square