© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

A Ardilosa Confraria dos Delinquentes

October 10, 2018

Fernando Haddad não foi escolhido à toa para ser o poste de Lula nestas eleições. O antigo prefeito de São Paulo – notório por ter realizado uma das piores gestões políticas na história da grande metrópole – responde a mais de trinta e dois processos na justiça, por diversas contravenções cometidas no exercício de cargos públicos, que vão de superfaturamento à prevaricação. Indubitavelmente, Haddad foi escolhido para ser o poste de Luís Inácio porque carrega em cada singular molécula do seu corpo todos os virulentos e inflexíveis organogramas pútridos da criminalidade, tão característicos do PT. Isso não é surpresa nenhuma. Podemos esperar mais integridade e honestidade do próprio diabo.   

 

Além de sua inconcebível mediocridade como gestor público, Haddad tem exatamente o perfil que é o padrão do PT: o do indivíduo que tem um certo carisma, mas ao mesmo tempo é ardiloso e dissimulado – leviano o suficiente para ludibriar eleitores ingênuos e desavisados –, parecendo ser uma boa pessoa, um indivíduo comum como eu e você, que se preocupa com o povo. A verdade, no entanto, é que, para essa gente, o povo não passa de uma vulgar abstração, uma massa de indivíduos fútil e insignificante, a qual eles são ostensivamente hábeis em manipular. 

 

Como Lula, Haddad sabe personificar muito bem o cidadão comum, embora tenha muito mais sofisticação intelectual, o que lhe confere uma certa aura professoral. Não obstante, existe em ambos uma voracidade, um lado negro, oculto, que a população, em sua maioria, é incapaz de perceber. O que eles mostram ao público é uma persona, um alter ego, uma figura pública deliberadamente interpretada para angariar a simpatia das multidões. Eles só revelam o que são, de fato, nos porões do crime, quando estão entre eles, quando ninguém mais os vê, quando estão perseguindo os reais objetivos pelo qual fazem o que fazem. O que Haddad quer, na verdade, é espaço e liberdade para negociar cargos, promissórias, contratos e licitações, embolsando propinas à vontade, sem ser incomodado. Depois, ele pode proferir um fantástico discurso contra as elites, a favor dos pobres e dos oprimidos, e ser elogiado como um campeão dos marginalizados por estudantes de alguma universidade federal, ou ter seu rosto estampado na capa de alguma revista, com uma matéria que alardeia em letras grandes triunfos partidários que foram conquistados graças à integridade e à paixão (quando na verdade o foram em virtude de favores que eram devidos e foram cobrados, somados à verbas polpudas desviadas de algum fundo eleitoral). Ora, quando o indivíduo tem costas-quentes, como as de Renan Calheiros, para endossar uma campanha, e aliviar o lado nos processos judiciais, nenhum sonho se torna uma impossibilidade. Na confraria do crime, todas as contravenções são permitidas, com o aval e a benção dos eleitores cegos. 

 

Não obstante – à despeito de suas qualidades aparentes – o presidenciável é completamente destituído de todo e qualquer traço de originalidade: analisado mais à fundo, Haddad é completamente insosso e insípido, uma figura que só seria capaz de crescer – e mesmo assim, com inúmeras restrições e limitações – à sombra do poderoso chefão, Lula, o supremo mandatário da ORCRIM. Sem nenhuma capacidade de liderança, Haddad é um criminoso profissional que, à despeito de sua ficha corrida, precisa estar na barra da calça do papai para receber ordens, e necessita de supervisão constante da nomenclatura, para não fazer nada de errado, e não comprometer, de alguma forma, a sua campanha, que serve simplesmente de fantoche para que o maior criminoso do país possa voltar ao poder, e se vingar de quem decidiu fazê-lo pagar por seus crimes. 

 

O PT está contando com Haddad para voltar ao poder. A confraria dos delinquentes não terminou de saquear o país; sempre ávidos, sedentos por riquezas, não aceitam a realidade, tampouco estão dispostos a admitir que a fonte secou. A organização criminosa quer se apossar de tudo, e continuar o processo de espoliação que dilacerou o país, para enriquecer muito mais, às custas do povo brasileiro. Para a cadeia com todos eles. E que devolvam tudo aquilo que foi espoliado. O povo brasileiro merece ver toda esta quadrilha pagando pelos crimes cometidos contra a nação brasileira. E que nunca mais saiam do presídio, enquanto viverem. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O poder paralelo

November 16, 2019

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square