© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Vá de retro, Bolsonás

October 25, 2018

Nunca antes na História este país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza viveu tempos tão sombrios. Não, eu não estou me referindo ao custo da energia elétrica, às malditas tomadas de três pinos nas quais não é possível conectar nada nem às fantásticas lâmpadas frias que não gastam mas também não iluminam. Também não é que o Sol, este astro tão nosso vizinho, tenha andado escondido por detrás das nuvens de fuligem do menor desenvolvimento industrial que o Brasil experimenta desde que se industrializou (e foi, é?). Antes fosse! Mas não. As trevas que nos ameaçam são as do obscurantismo!

 

O brasileiro, que sempre foi um homem cordial, um povo pacífico, um ser generoso, deu, assim, de repente, pra adquirir uns cacoetes fascistas, nazistas, truculentos! Sua palermice bonacha, sempre tão folclórica e turística, do nada foi substituída pelo discurso de ódio, pelo desejo de possuir armas de destruição em massa, pelo nacionalismo que quer que quem mande no país sejam os brasileiros e não a ONU, pela mesquinhez de querer que os impostos recolhidos aqui sejam aplicados aqui mesmo, pela xenofobia de não querer as fronteiras abertas a bandidos e terroristas.

 

E isso nem é o pior!

 

Influenciados por ideologias fanatizantes e falsas religiões (por princípio, toda religião é falsa, exceto aquelas que podem ser usadas contra a opressão do judaico-cristianismo, é claro), milhares, milhões de tios do pavê, vozinhas da quermesse e obreiras de sapatinhos de fogo buscam impelir o país de volta às densas trevas medievais que, aliás, jamais vivemos, mas deixa quieto. Auxiliados pelo Whatsapp, os seres das trevas se propagam, ocultando o ódio sob memes hilariantes que se alastram como a peste, seu discurso ferindo os ouvidos como o som de mil panelas.

 

Num minuto estávamos todos felizes, assistindo alegremente ao avanço do progressismo, lutando pelo direito de homens barbados dividirem o banheiro com menininhas de nove anos, curando todas as enfermidades psicológicas com o uso terapêutico da masturbação pública com objetos sacros e do sexo casual, grupal, poliamoroso ou de qualquer forma não ortodoxo, e daí, do nada, aquela sua tia cuja maior preocupação sempre foi saber como acabaria a novela começa a dizer nos grupos da família que é melhor segurar a periquita que praticar um aborto?!

 

Num instante estávamos pacificamente integrados no projeto da Pátria Grande (ops! Pátria, não, mátria! Melhor: cumpanherátria), praticando a caridade a países estrangeiros com os recursos públicos, admirando as invasões de terras produtivas e prédios particulares e o desmantelamento da iniciativa privada em prol do controle estatal da atividade econômica, só pra assistir, embasbacados, o vizinho se demonstrar uma abjeta e mesquinha alma liberal que acredita que o dinheiro que ele ganha seria melhor gasto por ele mesmo e não pelo Estado!?

 

Quando foi que do nada todo o povo que via as tetas de louça da vadia que passa e não posso pegar (aliás, nem olhar, nem assobiar, nem comentar, achar estranho, nada), fazia passeata da maconha e admirava a dura poesia concreta dos black blocs começou a achar que vadia é tudo puta e a querer tratar bandidos como se fossem, sei lá, bandidos?!

 

E o que explica a desconfiança no processo eleitoral, sem nenhuma evidência além do fato, irrisório em si mesmo, de que não é possível conferir ou contar o próprio voto!?

 

Se todos os recursos destinados à UNE aos DCEs, se toda a politização unilateral do ensino, se todo o aparelhamento das instituições, dos sindicatos, dos púlpitos, da imprensa e da mídia não deram jeito, é que enfrentamos a ação do coiso ruim, e ante isso só nos resta apelar: valei-nos, São Francisco Buarque de Holanda, São Caetano e Frei Nando Haddad! Ajudai-nos, beata Mercury, Sant’Anitta, e irmã Nuela D’ávila!

 

Te esconjuro, Diabolavo! Vade retro, Bolsonás!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Socialismo é estadolatria

January 23, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square