© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Venezuela vai negociar suas reservas de ouro com países ricos?

February 9, 2019

Desde o ano passado, o governo venezuelano vem vendendo gradualmente suas reservas de ouro, em uma tentativa de financiar-se.

O comércio de ouro não-refinado – realizado majoritariamente com os Emirados Árabes Unidos e a Turquia – faz parte de um plano desesperado do decadente regime bolivariano de Nicolás Maduro para manter-se; governo este que, ao que tudo indica, dá os seus últimos estertores de vida. Juan Guaidó, cujo nome completo é Juan Gerardo Guaidó Márquez, presidente da Assembleia Nacional e integrante do partido Vontade Popular, foi consagrado como o presidente interino da Venezuela, e já é reconhecido como o presidente oficial por diversos países. Outrossim, a Venezuela, portanto, não enfrenta apenas a maior crise econômica de sua história, mas também uma pungente conflagração política, que pode resultar em uma guerra civil.  

 

Um funcionário do governo – que optou por não se identificar – recentemente confidenciou à agência de notícias Reuters que quinze toneladas de ouro já estariam sendo negociadas com o governo dos Emirados Árabes. No dia 26 de janeiro, três toneladas já teriam sido enviadas como uma primeira remessa. O ouro será vendido por euros.    

 

Especulações de que o governo venezuelano estaria negociando ouro também com a Federação Russa emergiram no final da semana passada, quando um Boeing 777 – da companhia aérea russa Nordwind Airlines – pousou no aeroporto de Caracas. Empresa que, até onde se sabe, nunca tinha ido antes até a Venezuela, seus roteiros normalmente ficam restritos ao sudeste asiático, a aeronave fez um misterioso e extraordinário voo completamente fora de rota por razões desconhecidas. Partiu com dois tripulantes, e depois de algumas horas em território venezuelano, regressou à Rússia. Até o momento, não se sabe porque razão a aeronave foi até a Venezuela.   

 

Como todas as medidas tomadas pelo governo, vender suas reservas de ouro é apenas mais um ineficiente e malfadado paliativo, que servirá apenas para estender mandatários decadentes no poder, e prolongar a maior crise econômica da história do país. Assim como mudar o nome da moeda de bolívares fortes para bolívares soberanos, cortar zeros da moeda e aumentar o salário mínimo provaram-se todas medidas ineficientes e completamente incapazes de retirar a população da sua condição de miséria extrema, justamente por não atacarem as verdadeiras causas do problema: o socialismo, uma grave anomalia econômica que apenas o livre mercado pode resolver. 

 

Recentemente, o governo americano bloqueou as ações da PDVSA – a estatal petrolífera venezuelana – considerada a galinha dos ovos de ouro –, nos Estados Unidos, em decorrência de investigações sobre esquemas de corrupção e fraude envolvendo a companhia, em operações ilícitas transnacionais. O governo venezuelano, como sempre, aproveita todas as oportunidades para se vitimizar, e colocar a crise econômica na conta dos embargos americanos. Como sempre, o socialismo jamais é apontado como o verdadeiro culpado pela desgraça. 

 

Não é possível saber ao certo quanto ouro a Venezuela possui acumulado. Mesmo que seja muito, uma hora ele irá acabar. E em virtude da drástica hiperinflação que aflige o país – e que está prevista para chegar a 10 milhões por cento – o valor monetário e o poder de compra serão rapidamente corroídos. A não ser que medidas dramáticas sejam tomadas para reverter esta situação, a saber, a adoção de uma economia de mercado o mais rápido possível – a Venezuela continuará sendo destroçada pelos efeitos nefastos do socialismo, e nem todo o ouro do mundo poderá ajudá-la a se reerguer.  

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Cracolândia em guerra

January 17, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square