© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Deplorável mídia nacional chama Caracas de "Paraíso" Socialista

August 21, 2019

No seu desespero, a deplorável, cínica e sádica imprensa vermelha está realmente apostando alto em todo o tipo de propaganda falaciosa para tentar remendar a imagem da Venezuela perante a opinião pública, e acima de tudo, tentar salvar a ideologia socialista dos seus estertores finais; resgatá-la, para apresentá-la como a "solução" contra a "maldosa" ordem capitalista em que supostamente vivemos. O objetivo é sempre levar algum outro país de desavisados a cair nas graças de algum populista de esquerda, que vai implantar todas as políticas desta praga ditatorial e assassina que é o socialismo, para inexoravelmente levá-lo também à destruição. Recentemente, a Exame — parte integrante dessa malignidade editorial conhecida como a esgotosfera ideológica brasileira — publicou um artigo intitulado “Caracas é o paraíso: a nova onda migratória na capital da Venezuela", que consegue ser um irremediável festival de falácias, anedotas e hipocrisias sem tamanho, quase impossíveis de assimilar.

 

O executivo de um grande banco teria supostamente falado que "Caracas é o paraíso", e disse isso enquanto tomava um farto café da manhã no saguão do hotel de luxo onde ele estava hospedado, ignorando completamente a realidade factual de sofreguidão, privações e incertezas que acomete o povo venezuelano. Ora, o tendencioso artigo compara Caracas e seu "majestoso" padrão de vida ao resto do país, que teoricamente está muito pior. Tentando passar uma imagem heróica do totalitário e cruel governo bolivariano, no artigo afirma-se que em Caracas tudo está tranquilo e formidável, afinal, "Caracas tem se permitido uma existência privilegiada graças ao governo". Sim, é verdade, o governo está cuidando muito bem de si próprio, enquanto permite que o resto da população morra de fome, e passe toda a sorte de necessidades, enquanto os marajás do governo bolivariano, esses sim, passam muito bem. Isso para não mencionarmos os sequestros, assaltos e assassinatos em larga escala, visto que o socialismo transformou a Venezuela em uma das nações mais perigosas do globo terrestre, sendo Caracas — que o artigo tenta falsamente rotular como um "paraíso" — classificada como a segunda cidade mais violenta do mundo. De acordo com a matéria, no entanto, tudo está fantástico no "paraíso" chavista, pois "no edifício de escritórios onde [o executivo] trabalha (...) até as escadas rolantes funcionavam."

 

Além de tentar culpar Juan Guaidó — o líder da oposição que disputa a presidência, reconhecido como o mandatário oficial da nação por mais de cinquenta países, em desafio ao ditador Nicolás Maduro — por toda a instabilidade política e pela enorme crise financeira que a Venezuela enfrenta, o tendencioso artigo expõe as "virtudes" de Nicolás Maduro como um patriótico herói que ama o seu povo, e que "trava uma batalha contra o líder da oposição Juan Guaidó". Ou seja, a imprensa vermelha está precisando de um boicote urgente. Além das gravíssimas distorções factuais promovidas por um sádico e cínico discurso ideológico, as falácias tripudiam na desgraça do povo venezuelano, jamais apontando o verdadeiro culpado pela tragédia brutal que destroçou o país: a satânica maldição socialista marxista-leninista. 

 

Caracas é não apenas uma das cidades mais violentas do mundo, como é também uma das mais corruptas. Para fazer qualquer coisa na capital, é necessário subornar alguém. Se ainda existe algo de "paradisíaco" na Venezuela, podemos dizer que ficou nas belíssimas paisagens do norte do país, que ocupam uma parcela expressiva da região do Caribe. Não obstante, sendo hoje a Venezuela um dos países mais perigosos do mundo, a verdade mostra que o número de turistas assassinados aumenta vertiginosamente a cada ano; antes, os assaltantes apenas roubavam. Hoje, com as incertezas que basicamente institucionalizaram o desespero, os criminosos primeiro matam, para depois roubar. Diversos governos — como Estados Unidos e Inglaterra — alertam seus cidadãos para não brincarem de turistas na mortífera e degradante república bolivariana.  

 

Assassinatos, infelizmente, tornaram-se uma ocorrência ostensivamente comum. 98% dos homicídios nem chegam a virar inquéritos policiais, portanto não são investigados. A polícia é tão corrupta e trabalha em condições tão precárias, que — para qualquer investigação ir adiante —, as partes interessadas devem estar dispostas a subornar as autoridades. A corrupção é basicamente o que move as pessoas, e faz o pouco que resta da economia girar. 

 

Como a imprensa nacional não tem escrúpulos ou princípios, tampouco obedece a padrões éticos e morais, ela literalmente representa a decadência de um establishment político criminoso, corrupto e maledicente, que — nos estertores do seu convulsivo desespero — se compromete com uma agenda política criminosa e assassina, que era o motor de um governo maligno e depravado, cuja máquina lhe garantia sustento financeiro; tudo isto pelo fato da oligárquica máfia petista ter comprado, subornado e cooptado escancaradamente os principais órgãos de imprensa formadores da opinião pública do país. 

 

Hoje, com a imprensa vermelha carecendo de patrocínio — e tem que falir mesmo, pois é uma máquina de enganação política e terrorismo ideológico — e uma classe "artística" que se vê ameaçada porque perderão o bolsa artista, bem como todos os privilégios e benefícios do qual usufruem, não devemos estranhar ao ver essas turmas aliadas à esquerda, porque foram devidamente compradas com muito dinheiro e regalias, apelando das formas mais desprezíveis e agressivas possíveis para manter tudo aquilo que lhes possibilita levarem um estilo de vida suntuoso, elitista e nababesco. Elas acostumaram-se a um padrão de vida muito requintado e sofisticado, repleto de abundância, conforto e mordomias, e estão com muito medo de perderem tudo isso. Já que, graças à direita política, eles perderam efetivamente o monopólio da verdade, das virtudes e do controle da informação. 

 

Por isso, no processo para conquistarem novamente o poder, essa gente tenta desesperadamente "limpar" e "salvaguardar" sua venerada ideologia de estimação, que tanto terror, destruição e morticínio causou ao mundo. E chamar uma opressiva tirania totalitária de "paraíso" está longe de ser o pior. Como o dinheiro e o poder são as únicas coisas que realmente importam para essa gente, o que sabemos é que eles farão de tudo para manter aquilo que estão a ponto de perder. A apologia do socialismo, a difusão descarada de mentiras e falácias e a manipulação de dados e informações é parte de uma estratégia muito mais feroz e depravada. Não importa quantas pessoas o socialismo mate, quantas vidas oprima, quantos países essa perversão satânica destrua, o poder absoluto é o combustível por trás de tudo o que essa gente faz. Sempre para atingir os mesmos fins, que terminam invariavelmente com a escravidão total da população — é por isso que governos socialistas empregam medidas arbitrárias que buscam desarmar compulsoriamente a população e destruir a economia para deliberadamente fomentar uma cultura de escassez. Uma sociedade devidamente desarmada e miserável pode ser subjugada com extrema facilidade. Quando o plano é atingido, aí começa a verdadeira farra: capitalismo de luxo e distribuição de riquezas entre a classe política e os corporativistas amigos do regime, e socialismo e miséria absoluta para a população. 

 

Não importa quantas mentiras a esgotosfera sensacionalista da imprensa vermelha se empenhe em produzir e difundir, o socialismo sempre produz o mesmo resultado, aonde quer que seja implantado: apenas as inúmeras legiões de idiotas úteis seduzidos pela esquerda política são incapazes de perceber isso. Nunca é o "paraíso socialista" representado pela situação atual de Caracas — como são levados a crer os leitores desta falaciosa reportagem da Época —, mas uma atroz, mortífera, deplorável, cruel, sanguinolenta e tirânica corporificação do inferno, que mata os cidadãos pela fome, pela precariedade, pelas doenças, pela completa e total ausência de medicamentos e tecnologia médica, pela degradação famélica, pela repressão estatal, pela corrupção generalizada de um sistema invariavelmente pérfido e escravagista, inerentemente fadado ao fracasso, e que já matou mais de cem milhões de pessoas, desde que essa praga satânica começou a se difundir pelo mundo, há pouco mais de um século atrás. O socialismo deve ser exposto por aquilo que ele realmente é. Socialismo e paraíso são expressões tão incompatíveis quanto esquerda e liberdade. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Um táxi chamado Brasil

February 25, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square