© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Terceira carta aberta a Glenn Greenwald

September 15, 2019

Glenn Greenwald,
...imaginei que as duas “cartas virtuais” que lhe mandei ficariam perdidas nessa barafunda chamada internet e que você não as leria. Descobri ontem, pelo que me mandou o amigo Claudio Tonellii, via facebook, que você não apenas as leu como não gostou do que leu.

Admito que foram textos impregnados de ironia, o modo que encontrei de expressar minha indignação – indignação de brasileiro ! – pelo que você fez ao Brasil, país que o acolheu de braços abertos, que lhe ofereceu seu clima agradável, suas praias e seu mar, sua paisagem paradisíaca, que respeitou sua opção sexual e reconheceu o direito que você tem de criar filhos que possam ser chamados de seus, e de viver maritalmente com outro homem (embora não viva a sua condição, consigo imaginar como essas coisas são importantes para você).

Fui chamado de homofóbico por seus seguidores pelas referências que fiz à sua opção sexual nas duas cartas anteriores, mas, honestamente, este não é um mal que me afeta – nunca afetou e nem vai afetar.

Se a mencionei, é porque vejo que ela deve ser decisiva na escolha que você fez de viver e trabalhar neste país. Aqui, há leis que protegem os homossexuais, ao contrário do que acontece, segundo relatório da ONU, em 72 países do mundo, onde o homossexualismo é criminalizado – até com pena de morte em vários deles.

Se existe alguém que deve ser grato ao Brasil por tudo o que ele lhe proporcionou, esse alguém é você, Glenn Greenwald.

Mas qual é a contrapartida que ele recebe de você, hem ?

Como diz o samba bem brasileiro, você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão!

Você se uniu ao que há de pior na política brasileira e tenta destruir a única iniciativa de combate à corrupção com efetividade desde o descobrimento, em 1500, a Lava Jato.

Sinceramente, eu ainda não consigo entender como você consegue olhar nos olhos de seus filhos brasileiros depois de tentar roubar o futuro de cada um deles.

Eu me recuso a chamá-lo de jornalista porque a um jornalista de verdade não é permitido ignorar tudo o que esse cidadão, Luiz Inácio Lula da Silva, aprontou desde que decidiu participar da política partidária brasileira.

Como pode você, que se diz jornalista, considerar inocente um homem que se confessou amigo do empreiteiro, Emílio Odebrecht, patrocinador do maior processo de corrupção do planeta ?

Como pode um jornalista virar as costas para o envolvimento de Lula no assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, e de mais sete pessoas que poderiam fazer revelações importantes sobre o crime ?

Como pode um jornalista ignorar o desvio de dois bilhões de dólares na compra de Pasadena pela Petrobras com anuência da presidente do Conselho Administrativo da empresa, a mulher que seis anos depois seria eleita presidente da República com apoio do “inocente” Luiz Inácio ?

Como pode um jornalista virar as costas para o depoimento de ex-ministro (de Lula e de Dilma) Antônio Palocci que, entre tantas outras coisas, denunciou que metade de todo o dinheiro que os dois governos do PT enviaram para fora do país foi desviada para formar o mais assombroso esbulho de dinheiro público do planeta, valor que ultrapassa 500 bilhões de reais ?

Como pode um jornalista ignorar que, num caso inédito na história da República Brasileira, dois presidentes – Luiz Inácio e Dilma Rousseff – tenham mantido conta-corrente, dinheiro graúdo para gastar com o que e quanto quisessem, nas empresas Odebrecht e J & F?

Como pode um jornalista ignorar o festival de superfaturamento de obras nos dois governos petistas ?

Como pode um jornalista ignorar o vertiginoso enriquecimento dos filhos do ex-presidente Lula, bastando saber que as empresas de um deles, o Lulinha, todas empresas de fachada, faturaram em dois anos a quantia fantástica de 327 milhões de reais ?

Ah, mas você pode dizer: “É tudo mentira, invenção dos golpistas, que temem o poder eleitoral de Lula e, por isso, o mantêm na prisão !”

Tudo bem, é seu direito pensar assim. Mas, escuta, você não é um grande “jornalista investigador” ? Então, investigue e prove a inocência de Lula !

A sua preferência por investigar a Lava Jato é um escárnio contra o país que o acolheu com generosidade.

A Lava Jato, por todo o trabalho realizado, é uma instituição do Brasil. O juiz Sergio Moro e o procurador Deltan Dalagnol são pessoas que merecem respeito e reverência de todos os brasileiros de bem e que zelam pelo futuro do país.

Não, não teria futuro o país que ardia na chama da corrupção !

Não é preciso ser jornalista para perceber o ritmo alucinante de degradação da nação brasileira que era atacada por diferentes processos de corrupção sistêmica e contumaz.

Não, a Lava Jato não conseguiu exterminar a corrupção e o caminho a ser percorrido por esse combate ainda é longo e exaustivo. Mas ela ensinou ao povo brasileiro que é possível vencer, que é possível por na cadeia até os corruptos mais poderosos.

A Lava Jato mostrou também ao povo brasileiro os estragos que a corrupção sistêmica pode fazer a uma nação, exaurindo os recursos indispensáveis à saúde e educação e contribuindo para o empobrecimento amplo e irrestrito de um país.

Não, não tem futuro uma nação que se vê obrigada a carregar essa brutal contaminação pela corrupção de praticamente todas as instituições !

Glenn Greenwald, fala-se muito na venezuelização do Brasil. A possibilidade ainda não pode ser descartada, mas, se ela um dia ocorrer, tenha certeza que você terá dado uma forte contribuição para isso, na medida que ajudou a combater das poucas iniciativas que ainda têm vigor e energia para frear a corrupção sistêmica.

Reflita, pelo menos reflita !

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Um táxi chamado Brasil

February 25, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square