© Todos os direitos reservados

Re-União 2017

Dois Papas,a grande mentira

December 27, 2019

Se há alguma coisa boa nesse filme que acaba de ser lançado, é o sósia que encontraram para o papa argentino. Nada mais do que isso. O filme faz parte da guerra cultural que estamos vivendo, de um lado os conservadores que lutam para manter a família e a democracia, do outro os progressistas que querem destruir a família e a democracia. E nessa guerra cultural travada em uníssono com a política, a arma mais letal dos progressistas é a mentira. Em verdade, a mentira é a única arma do arsenal comunista.

 

Os que têm um mínimo de conhecimento e interesse cultural sabem muito bem que o Vaticano caiu nas mãos da Nova Ordem. Já infiltrados e com poder para alcançar o objetivo final, eleger um Papa e no poder destruir o cristianismo, projeto nuclear da Ordem, chegou o momento em que a paciência acabou e usaram a Força de forma infalível. 

 

Em 1978, com a morte do Papa Paulo I, 1963-1978, chegou a hora tão esperada de elegerem seu representante. Mas havia um Cardeal que era só simpatia, amado por todos e esse Cardeal acabou sendo eleito. Mas o Papa sorriso significaria mais um longo tempo de espera, então o envenenaram; o Papa sorriso foi assassinado com 33 dias de papado. O Vaticano é um Estado soberano, o que acontece lá tem soberania para de lá não sair. O atestado de óbito registrou ataque cardíaco, que é o que provoca o arsênico em doses homeopáticas nos chás papais.

 

Dentro do Vaticano não existe segredo, e a reação foi imediata. O que era feito nos subterrâneos só quem vivia subterrâneamente sabia, mas o assassinato do Papa sorriso foi um exagero, e gerou reação. A Ordem perdeu mais uma vez, com a eleição do Cardeal polonês Karol Wojtyla, o Papa João Paulo II. Então, todos sabem o que aconteceu. Contrataram um assassino para mata-lo. O turco "Mehmed Ali Agca" (se tem Ali no nome é shiita, esclareço) não foi letal, e o Papa escapou. O atentado escancarou a disputa pelo poder no Vaticano, travado pela Ordem em nível medieval. O turco não fez segredo, fora contratado pela KGB para matar o Papa.

 

Não a KGB russa, mas da Bulgária. Confissão sem tortura, espontânea. Um tempo depois o Papa o perdoou, algo só possível pelos Conservadores, jamais por algum comunista. A Ordem já estava infiltrada na KGB há muito tempo; mas não vou estender aqui, já falei sobre isso no artigo "Por que os bispos se calam", 2017, aqui mesmo onde nos Reunimos. Agora fica a pergunta, por que a confissão de um assassino não gerou interesse na imprensa, e ficou por isso mesmo? Não preciso explicar, todos conhecem muito bem a imprensa e sabem de que lado ela está. O lado sujo, ditatorial.

 

Em 2005, depois do seu longo reinado de sobrevivente, morre o Papa João Paulo II. Chegou a  vez da Ordem eleger seu papa, ou agora ou nunca! Mas o Conservadorismo ainda tinha sua força e seu candidato vencedor. Joseph Hatzinger, o Bento XVI. Ele assumiu o papado em 2005, substituindo o polonês que não conseguiram destronar a tiro. O tempo passa, chegamos em 2013 e o alemão não dá pinta que vai morrer, e até agora não morreu, velho duro na queda. O envenenamento e o uso de um pistoleiro de aluguel não deram frutos à Ordem, foi provado duas vezes que o efeito contrário acabava prevalecendo. A objetividade atrapalhou o objetivo.

 

Como não são burros, acabaram descobrindo o óbvio, mérito restrito só aos provetas, como dizia Nelson Rodrigues: o Papa pode abdicar. Especulo o que andaram sussurrando nos ouvidos do alemão, "é melhor você abdicar e viver em um castelo cheio de mordomia, do que parar de viver"; nisso o subterrâneo já ocupara o solo, pronto para efetivar suas profecias. O que pode fazer um Papa com 87 anos? Os papas com com essa idade não fazem porra nenhuma, comem, bebem (o melhor vinho do mundo) e dormem, nada mais; de vez em quando uma aparição na sacada para um ciao aos bobos que lá vão desfraldar duas ingenuidades íntimas. Não há como derrotar um inimigo nascido há 700 anos.

 

Mas a abdicação não enganou ninguém. Até as carolas do Odorico Paraguaçu e o Sassá Mutema sabem que Bento XVI foi deposto, para que assumisse, finalmente, um progressista cheio de coisas para fazer; como apagar o Cristianismo do mapa e implantar a tão sonhada Nova Ordem Mundial. Mas aqui estamos nós para não deixar que filmes e outros arsenais roteirizados pela mentira prevaleçam. Só precisamos informar que não acreditamos em mentiras, e que sabemos a verdade.

 

Dois Papas não é um filme, é a maior mentira da história cinematográfica, foi feito com o objetivo de esconder que o Vaticano virou quartel dos progressistas pela força. E que o papa argentino não passa de um Che Guevara que toma banho. Que não fede. E quero ver como eles vão se entender com os muçulmanos, que já ocuparam todos os espaços no berço da Ordem, sem a mínima disposição para a diplomacia. Gramsci esfaqueou Jesus, e acabou caindo no colo de Maomé.

 

Anthony Hopkins deve ter levado uma grana muito boa para participar dessa farsa, fazendo um Bento XVI perfeito.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

A Pandemia Covid-19 e a Nova Ordem Mundial

March 24, 2020

1/10
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square